Aniversários das “expedições” – Pierre Verger, Mário de Andrade e Marcel Gautherot

 

Pierre Verger: fotógrafo-antropólogo

Há 70 anos, em agosto de 1948, Pierre Verger esteve no Maranhão e registrou mais de 250 cenas da vida cotidiana  daquela época: cenas de trabalho, de festas religiosas e populares, de paisagens urbanas e rurais que mostram a sensibilidade e a visão de pesquisa do fotógrafo-antropólogo.  As fotos dessa visita estão preservadas pela Fundação Pierre Verger, em Salvador, e  também podem ser acessadas no Museu Afrodigital da UFMA

 

Missão de pesquisas folclóricas de Mário de Andrade – 1938

(Foto) 1948. Pierre Verger. Imagens do Maranhão - Carranca da Fonte do Ribeirão Fonte: Museu Afrodigital da UFMA.
Carranca da Fonte do Ribeirão (Foto) 1948. Pierre Verger. Imagens do Maranhão – Paisagens Urbanas. Fonte: Museu Afrodigital da UFMA.
Carranca da Fonte do Ribeirão (Foto) 1938. Missão de pesquisas folclóricas de Mário de Andrade. Imagens do Maranhão - Conjuntos arquitetônicos/Fontes. Fonte: Museu Afrodigital da UFMA.
Carranca da Fonte do Ribeirão (Foto) 1938. Missão de pesquisas folclóricas de Mário de Andrade.
Imagens do Maranhão – Conjuntos Arquitetônicos.
Fonte: Museu Afrodigital da UFMA.

 

Dez anos antes, em junho de 1938, ou seja, há 80 anos, Mário de Andrade também  organizou uma Missão de Pesquisas Folclóricas que percorreu o Nordeste brasileiro, registrando os traços da cultura popular de vários estados e passando cerca de uma semana no Maranhão, onde foram documentados rituais de Tambor de Mina e de Tambor de Crioula, além de paisagens e conjuntos arquitetônicos . Foi a primeira documentação sobre folclore realizada no Brasil, o que a torna especialmente interessante para os pesquisadores.  Os originais desta pesquisa estão sob a guarda do Centro Cultural São Paulo

 

Tambor de Mina – 1938

 

Nessa viagem de Mário de Andrade, foram filmados também rituais de Tambor de Crioula e Tambor de Mina. Esses dois vídeos são os primeiros registros audiovisuais disponíveis sobre essas manifestações culturais no Maranhão, fato que ressalta a importância desta documentação pioneira.

 

Tambor de Crioula – 1938

 Marcel Gautherot

Também há 70 anos, o fotógrafo francês Marcel Gautherot chegou ao Brasil  atraído por leituras de Jorge Amado. Ele esteve em Cururupú, no litoral Norte do Maranhão, entre 1948 e 1960, onde também documentou festas de Tambor de Crioula, Tambor de Mina e Festa do Divino.

Tocadores (Foto) Cururupu,1958. Marcel Gautherot Imagens do Maranhão - Cenas de festas religiosas e populares.
Tocadores (Foto). Cururupu,1958. Marcel Gautherot Imagens do Maranhão – Cenas de festas religiosas e populares.
Instrumentista 19/06/1938 (Foto) 1938. Missão de pesquisas folclóricas de Mário de Andrade. Imagens do Maranhão - Tambor de Crioula. Fonte: Museu Afrodigital da UFMA.
Instrumentista 19/06/1938 (Foto). Missão de pesquisas folclóricas de Mário de Andrade. Imagens do Maranhão – Tambor de Crioula. Fonte: Museu Afrodigital da UFMA.

Sua “fotografia extremamente contrastada enfatiza as formas singulares dos corpos retratados: a pele negra e as vestimentas claras acentuam o potencial gráfico das imagens traduzindo o olhar moderno do fotógrafo. Luz e sombra delineiam os contornos da dança, dos giros, da força e do olhar. Ao mesmo tempo em que sintetiza a forma, através dos tons e do contraste, dá identidade, registra as singularidades: retrata as pessoas para além de suas identidades; mais do que uma fotografia documental, a abordagem de Gauterhot expressa artisticamente as pessoas e o seu papel na vida cultural do Brasil” (Museu Afrodigital – MA).

 

Músicas do Tambor de Crioula, Tambor de Mina e Bumba-meu-boi (MPF – 1938)

A Missão de Mário de Andrade também realizou a documentação sonora dessas manifestações culturais maranhenses  –  ouça aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *