Pensamento feminista negro brasileiro: bases conceituais – Dulcilei Lima

PDF

Dulcilei da Conceição Lima

Doutoranda em Ciências Humanas e Sociais pela Universidade Federal do ABC (UFABC); Mestra em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie; Bacharela em História pela Universidade de São Paulo (USP); Pesquisadora em Ciências Sociais e Humanas no Centro de Pesquisa e Formação do Sesc SP.

dulcilima78@gmail.com

RESUMO

A fim de compreender as estruturas de pensamento que embasam o feminismo negro brasileiro contemporâneo, este estudo recorreu a autoras como Lélia Gonzalez, Jurema Werneck, Beatriz Nascimento em diálogo com Nilma Lino Gomes, Raquel Barreto, Cláudia Pons Cardoso, entre outras, para identificar os principais elementos que se destacam nas bases epistemológicas do pensamento feminista negro no Brasil. Nesse sentido, percebe-se que diferentes intelectuais negras vêm buscando se afastar do conhecimento hegemônico e/ou colonial em busca de formas interpretativas próprias que se desenvolvam a partir das vivências racializadas de mulheres negras e indígenas, dentro e fora de espaços acadêmicos.

Palavras-chave: Feminismo Negro. Mulheres Negras. Pensamento Feminista Negro.

REFERÊNCIAS

ALMEIDA, Lady Cristina. Autonomia e Protagonismo: a experiência de intelectuais/ativistas negras brasileiras. In: SILVA, Joselina; PEREIRA, Amauri Mendes (org.). O movimento de mulheres negras: escritos sobre os sentidos de democracia e justiça social no Brasil. Belo Horizonte: Nandyala, 2014.

BAIRROS, Luiza. Lembrando Lélia Gonzalez. Revista Afro-Ásia, n. 23, 2000.

BARRETO, Raquel de Andrade. Enegrecendo o Feminismo ou Feminizando a Raça: Narrativas de Libertação em Angela Davis e Lélia Gonzalez. Rio de Janeiro, 2005. 128 f. Dissertação (Mestrado em História) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.

BENEDICTO, Ricardo Matheus. Afrocentricidade, educação e poder: uma crítica afrocêntrica ao eurocentrismo no pensamento educacional brasileiro. São Paulo, 2016. 298 f. Tese (Doutorado – Programa de Pós-Graduação em Educação. Área de concentração: Filosofia e Educação) – Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo.

BIROLI, Flávia; MIGUEL, Luis Felipe. Feminismo e Política. São Paulo: Boitempo, 2015.

CALDWELL, Kia Lilly (2010). A institucionalização de estudos sobre a mulher negra: Perspectivas dos Estados Unidos e do Brasil. Revista ABPN, v. 1, n. 1, mar-jun 2010. Disponível em: www.abpnrevista.org.br/revista/index.php/revistaabpn1/article/download/304/282. Acesso em: 13 jun. 2018.

CARDOSO, Claudia Pons. Outras falas: feminismos na perspectiva de mulheres negras brasileiras. Salvador, 2012. 383 f. Tese (Doutorado em Estudos Interdisciplinares sobre Mulheres, Gênero e Feminismo) –  Universidade Federal da Bahia.

CARNEIRO, Sueli. Mulheres em Movimento. Revista Estudos Avançados, v. 17, n. 49, set.-dez., 2003b.

COLLINS, Patricia Hill. Aprendendo com a outsider within: a significação sociológica do pensamento feminista negro. Revista Sociedade e Estado, v. 31, n. 1, jan./abr. 2016.

GOMES, Nilma Lino. Intelectuais negros e produção do conhecimento: algumas reflexões sobre a realidade brasileira. In: SANTOS, Boaventura; MENESES, Maria Paula. Epistemologias do Sul. Coimbra: Alamedina, 2010.

GUIMARÃES, Antônio Sérgio. Resistência e Revolta nos anos 1960: Abdias do Nascimento. Revista USP, São Paulo, n. 68, p. 156-167, dez.-fev. 2005-2006. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/revusp/article/view/13490/15308. Acesso em: 17 jun. 2018.

HULL, Gloria T.; SCOTT, Patricia Bell; SMITH, Barbara. All the women are white, All the blacks are men, But Some of Us Are Brave. 2. ed. New York: Feminist Press at City University of New York, 2015.

IPEAFRO – Instituto de Pesquisa e Estudos Afro-Brasileiros. Ipeafro, 2020. Personalidades – Abdias Nascimento. Disponível em:  https://ipeafro.org.br/personalidades/abdias-nascimento/. Acesso em: 23 jun. 2020.

LIMA, Dulcilei da Conceição. Desvendando Luíza Mahin: Um mito libertário no cerne do Feminismo Negro.  São Paulo, 2011. 161 f. Dissertação (Mestrado em Educação, Arte e História da Cultura) – Universidade Presbiteriana Mackenzie.

PEREIRA, Neusa Maria. Pela Mulher Negra. Jornal Versus, 11 ed., p. 22-23, 1977. Disponível em: http://marcosfaerman.s3-website-us-east-1.amazonaws.com/Versus11.html?vis=
facsimile. Acesso em: 17 jun. 2018.

PAIM, Márcio. Pan-africanismo: tendências políticas, Nkrumah e a crítica do livro Na Casa De Meu Pai. Sankofa – Revista de História da África e de Estudos da Diáspora Africana, ano VII, n. XIII, Jul. 2014.

RATTS, Alex. Eu sou atlântica: sobre a trajetória de vida de Beatriz Nascimento. São Paulo: Instituto Kuanza/Imprensa Oficial, 2006.

___________; RIOS, Flavia. Lélia Gonzalez. São Paulo: Selo Negro, 2010.

SILVA, Joselina. I Encontro Nacional de Mulheres Negras: o pensamento das feministas negras na década de 1980. In: SILVA, Joselina; PEREIRA, Amauri Mendes (org.). O movimento de mulheres negras: escritos sobre os sentidos de democracia e justiça social no Brasil. Belo Horizonte: Nandyala, 2014.

VIANA, Elizabeth do Espírito Santo. Lélia Gonzalez e outras mulheres: Pensamento feminista negro, antirracismo e antisexismo. Revista ABPN, v. 1, n. 1 – mar-jun de 2010. Disponível em: www.abpnrevista.org.br/revista/index.php/revistaabpn1/article/download/304/282. Acesso em: 15 jun. 2018.

WERNECK, Jurema. Nossos passos vêm de longe! Movimentos de mulheres negras e estratégias políticas contra o sexismo e o racismo. Revista ABPN, v. 1, n. 1, mar-jun de 2010. Disponível em: www.abpnrevista.org.br/revista/index.php/revistaabpn1/article/download/
304/282. Acesso em 15 jun. 2018.


Como citar: LIMA, Dulcilei da Conceição. Pensamento feminista negro brasileiro: bases conceituais. Revista Firminas, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 206-225, jan/jul, 2021.

Publicado em: 11/03/2021

Editoria:

Fernanda Miranda
Luciana Diogo
Marília Correia

e_mail: revistafirminas@gmail.com

Arte | #1: Carolina Itzá

Diagramação | artigo: Érica Rodrigues

Capa | #1: Carolina Fernandes

Revisão | artigo: Aiko Mine

Edição de vídeos | #1 Aline Fátima

Logomarca | Wal Paixão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.